Sua conscientização política

"Seria uma época de guerras cruéis em que novos césares surgiriam e em que uma elite de homens de aço, que não buscavam ganhos pessoais e felicidade, mas o cumprimento dos deveres para com a comunidade, tomaria o lugar dos democratas e dos humanitários" Hajo Holborn, explicando uma previsão de Oswald Spengler em A History of Modern Germany: 1840-1945; Princeton University Press, 1982. Página 658

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Hitler por Winston Churchill – por Tannhauser



Winston Churchill
“It is not possible to form a just judgment of a public figure who has attained the enormous dimensions of Adolf Hitler until his life-work as a whole is before us. Although no subsequent political action can condone wrong deeds, history is replete with examples of man who have risen to power by employing stern, grim, and even frightful methods, but who, nevertheless, when their life is revealed as a whole, have been regarded as great figures whose lives have enriched the story of mankind. So may it be with Hitler.
“Não é possível formar um julgamento justo de uma figura pública que tenha atingido a enorme dimensão de Adolf Hitler até a obra de sua vida como um todo estar diante de nós. Embora nenhuma ação política subsequente pode tolerar atos errados, a história está repleta com exemplos de homens que têm chegado ao poder através do emprego de métodos severos, desagradáveis, e mesmo assustadores, mas que, no entanto, quando a vida deles se revelaram como um todo, têm eles sido vistos como grandes figuras cujas vidas têm enriquecido a história da humanidade. Assim seja com Hitler.


“When the terrible German armies, which had held half Europe in their grip, recoiled on every front, and sought armistice from those upon whose lands even then they still stood as invaders; when the pride and will-power of Prussian race broke into surrender and revolution behind the fighting lines; when that Imperial Government, which had been for more than fifty months the terror of almost nations, collapsed ignominiously, leaving its loyal faithful subjects defenseless and disarmed before the wrath of the sorely-wounded, victorious Allies; then it was that one corporal, a former Austrian house-painter, set out to regain all.
In the fifteen years that have followed this resolve he has succeeded in restoring Germany to the most powerful position in Europe, and not only has he restored the position of his country, but he has even, to a very large extent, reversed the results of the Great War (…) the vanquished are in process of become the victors, and the victors the vanquished. When Hitler began, Germany lay prostrate at the feet of the Allies. He {Sir John Simon, então Secretário de Relações Exteriores da Inglaterra entre 1935 e 1937} may yet see the day when what is left of Europe will be prostate at the feet of Germany. Whatever else may be thought about these exploits, they are certainly among the most remarkable in the whole history of the world.


“Quando os terríveis exércitos alemães {na Primeira Guerra Mundial}, que haviam ocupado metade da Europa em suas garras, recuaram em todos os frontes, e procuraram o armistício daqueles cujas terras eles ainda se mantinham como invasores; quando o orgulho e força de vontade da raça prussiana quebrou-se em rendição e com a revolução por trás de suas linhas de defesa; quando aquele governo imperial, o qual tinha sido por mais que cinquenta meses o terror de quase todas nações, colapsou ignominiosamente deixando seus súditos fiéis indefesos e desarmados perante a ira dos penosamente feridos, aliados vitoriosos; foi então que um cabo, um ex-pintor de casas austríaco, colocou-se para reganhar tudo.
Em quinze anos que tem seguido esta determinação ele tem conseguido restaurar a Alemanha para a mais poderosa posição na Europa, e não somente tem ele restaurado a posição de seu país, mas ele tem mesmo, em grande medida, revertido os resultados da {Primeira} Grande Guerra (...) os vencidos estão em processo de tornarem-se vitoriosos, e os vitoriosos os vencidos. Quando Hitler começou a Alemanha estava prostrada aos pés dos Aliados. Ele {Sir John Simon, então Secretário de Relações Exteriores da Inglaterra} pode ainda ver o dia quando o que resta da Europa irá estar prostrado aos pés da Alemanha. Qualquer outra coisa que pode ser pensado sobre estas façanhas, elas certamente estão entre as mais notáveis de toda a história do mundo.


“While all these formidable transformations were occurring in Europe, Corporal Hitler was fighting his long, wearing battle for the German heart. The story of that struggle cannot be read without admiration for the courage the perseverance, and the vital force which enabled him to challenge, defy, conciliate, or overcome, all the authorities or resistances which barred his path. He, and the ever increasing legions who worked with him, certainly showed at this time, in their patriotic ardour and love of country, that was nothing they would not do or dare, no sacrifice of life, limb or liberty that they would not make themselves or inflict upon their opponents. The riotous meetings, the fusillade at Munich, Hitler’s imprisonment, his various arrests and trials, his conflict with Hidenburg, his electoral campaign, von Papen’s tergiversation, Hitler’s conquest of Hindenburg, Hindenburg’s desertion of Brüning – all these were the milestones upon that indomitable march which carried the Austrian-born corporal to the life-dictatorship of entire German nation of nearly seventy million souls, constituting the most industrious, tractable, fierce and martial race in the world.
“Enquanto todas estas formidáveis transformações estão ocorrendo na Europa, o cabo Hitler estava lutando contra o tempo, engajado em batalha pelo coração da Alemanha. A história desta batalha não pode ser lida sem admiração pela coragem e perseverança, e a força vital a qual habilitou ele desafiar, resistir, conciliar, ou superar todas autoridades ou resistências as quais barravam sua trilha. Ele, e as crescentes legiões que trabalharam com ele, certamente mostraram neste momento, no ardor patriótico e amor deles pelo país, que não existia nada que eles não fariam ou ousariam, nenhum sacrifício de vida, integridade física ou liberdade que eles não iriam experimentar eles mesmos ou infligir nos oponentes deles. Os tumultuosos comícios, o fuzilamento em Munique {onde morreram 16 membros do partido de Hitler em 1923}, a prisão de Hitler, suas várias prisões e julgamentos, seu conflito com Hindenburg {Marechal alemão herói da Primeira Guerra Mundial e Presidente da Alemanha entre 1925 e 1934}, sua campanha eleitoral, a tergiversação de von Papen {Chanceler da Alemanha em 1932}, a conquista de Hindenburg por Hitler, a deserção de Hindenburg em relação a Brüning {Chanceler da Alemanha entre 1930 e 1932} – todas eles foram os marcos sobre essa marcha indomável a qual levou o cabo austríaco para a vida de ditador da inteira nação alemã com aproximadamente setenta milhões de almas, constituindo a mais industrial, tratável, feroz e marcial raça no mundo.


“That is where we are to-day, and the achievement by which the tables have been completely turned upon the complacent, feckless, and purblind victors deserves to be reckoned a prodigy in the history of the world, and a prodigy which is inseparable from the personal exertions and life-thrust a single man.
“Isto é onde estamos hoje, e as realizações pelas quais as tabelas têm sido completamente viradas sobre os complacentes, irresponsáveis, e míopes vitoriosos merecem ser avaliados um prodígio na história do mundo, e um prodígio o qual é inseparável dos esforços pessoais e da vida de um único homem.


“Those who have met Herr Hitler face to face in public business or on social terms have found a highly competent, cool, well informed functionary with an agreeable manner, a disarming smile, and few have unaffected by a subtle personal magnetism. Nor is this impression merely the dazzle of power. He exerted it on his companions at every stage in his struggle. Even when his fortunes were in the lowest depths.”
“Aqueles que têm se encontrado com Herr Hitler cara a cara em negócios públicos ou em termos sociais têm encontrado um funcionário altamente competente, coloquial, bem informado com uma agradável maneira, um sorriso irresistível, e poucos têm sido não afetados por um sutil magnetismo. Nem é meramente esta impressão o deslumbramento de poder. Ele exerceu isso sobre seus companheiros em cada fase de sua luta. Mesmo quando sua fortuna estava nas mais baixas profundezas.”

Winston Churchill, Great Contemporaries;
 Editora Richard Clay and Company, LTD, Grã-Bretanha, edição de 1941;
 capítulo Hitler and his choice, escrito em 1935 e publicado na
 Strand Magazine em novembro de 1935. Na versão em livro algumas partes
foram retiradas mas não foi nenhuma das aqui expostas.



“One may dislike Hitler’s system and yet admire his patriotic achievement. If our country were defeated I hope we should find a champion as indomitable to restore our courage an lead us back to our place among the nations.”
“Pode-se não gostar do sistema de Hitler e ainda admirar suas realizações patrióticas. Se nosso país fosse derrotado eu espero que nós possamos encontrar um campeão tão indomável para restaurar nossa coragem e levar-nos de volta para nosso lugar entre as nações.”

Winston Churchill, Step by Step – 1936 – 1939;
 Editota MacMillan & CO, LTD, 5ª edição, 1942;
 capítulo Friendship with Germany, escrito em 17 de setembro de 1937
 e publicado em livro pela primeira vez em junho de 1939.



“We must learn to draw from misfortune the means of future strength. There must not be lacking in our leadership something of the spirit of that Austrian corporal who, when all had fallen into ruins about him, and when Germany seemed to have sunk for ever into chaos, did not hesitate to march forth against the vast array of victorious nations, and has already turned the tables so decisively upon them. It is the hour, not for despair, but for courage and rebuilding; and that is the spirit which should rule our minds.”
“Nós temos de aprender a elaborar do infortúnio os meios da futura força. Não deve carecer em nossa liderança algo do espírito daquele cabo austríaco que, quando tudo tinha caído em ruínas sobre ele, e quando a Alemanha parecia ter afundado para sempre no caos, não hesitou em marchar à frente contra a vasta gama de nações vitoriosas, e tem já virado o jogo tão decisivamente sobre elas. Essa é a hora, não para desespero, mas para coragem e reconstrução; e este é o espírito o qual deve reger nossas mentes.”

Winston Churchill, Step by Step – 1936 – 1939;
 Editota MacMillan & CO, LTD, 5ª edição, 1942;
 capítulo France after Munich, escrito em 04 de outubro de 1938
 e publicado em livro pela primeira vez em junho de 1939.
































Agradecimento pelas imagens da revista Strand Magazine ao blog Gegen den Strom

3 comentários:

  1. 'Ou a Alemanha volta ao padrão-ouro ou haverá uma guerra dentro de 5 anos, independentemente de quem der o primeiro tiro' - 1933
    http://hyperborea-land.blogspot.com.br/2015/01/50-anos-sem-um-monstro.html

    “A Alemanha está ficando forte demais: teremos de acabar com ela.”

    Que grande estadista!...

    ResponderExcluir
  2. Essa bajulação maliciosa de Churchill direcionado indiretamente a Hitler foi apenas uma tentativa para criar intimidade, corromper e manipular o mesmo. Mas felizmente (de um ponto de vista vitorioso) não funcionou.
    O que não podemos esquecer jamais é que antes daquele, ocioso ser chupador de charutos, ser um cavalheiro sincero, polido e civilizado foi um inimigo oculto, mau, perverso, falso, deliberado e maquiavélico genocida.

    https://www.radioislam.org/islam/portugues/revision/dresden.htm


    http://globalfire.tv/nj/05en/history/the_blitz.htm


    https://www.youtube.com/watch?v=7DhwNyTu-OA


    Revisemos que, no dia 13 de fevereiro de 1945, iniciou-se o bombardeio da cidade de Dresden, na Alemanha. O ataque vitimou mais de 300.000 civis alemães e reduziu uma das mais antigas e belas cidades da Europa a pó. Dresden não possuía defesas anti-aéreas, nem sequer possuía soldados dentro de seus limites. O bombardeio foi realizado por puro sadismo de Churchill e seu companheiro maçonico Eisenhower. Ninguém jamais foi julgado por tal atrocidade, assim como por tantas outras perpetradas pelos "heroicos" Aliados. Ao contrário, tais atos são tidos REALMENTE como bravas ações.
    Hoje, 69 anos depois, muita coisa mudou, excepto pelo facto de que as mentiras permanecem vivas, assim como o inimigo e o fato de que ainda estamos aqui. Feridos, marginalizados, mas ainda de pé e lutando. Eles venceram a batalha, mas nós venceremos a guerra. Afinal de contas, já estamos mortos. Vivemos no tempo e combatemos na eternidade, encarnando o espírito da Revolução e da guerra perpétuas. Somos aqueles que jamais depuseram as armas. Somos os filhos de Dresden, as mulheres de Berlim e de Roma e os anônimos de Katyn. Somos os desaparecidos da Prússia Oriental e dos Sudetos, assim como aqueles que sucumbiram nos campos da morte americanos e durante o Plano Morgenthau. Somos os combatentes fuzilados, as crianças órfãs e as famílias arrasadas. Nós jamais nos esquecemos dos nossos mártires e daqueles que falhamos em proteger uma vez. Nós jamais perdoamos nossos inimigos pela sua carnificina e jamais esquecemos nosso dever como soldados, o nosso juramento de revelar a verdade ao mundo. Você não pode derrotar o judeu mediante simples “argumentos”. A eles é preciso acrescentar o desmascaramento psicológico integral de uma tática que não visa a vencer debates, mas a usar como um instrumento de poder até mesmo a própria inferioridade de argumentos. Em cada situação de debate é preciso transcender a esfera do confronto lógico e pôr à mostra o esquema de ação em que o judeu insere a troca de argumentos e qual o proveito psicológico e político que pretende tirar dela para muito além do seu resultado aparente.

    Não podemos nos deixar afetar pela condição atual de nosso inimigo, se agora ele está por baixo, aproveitemos então e nos lembremos que ainda é a mesma pessoa. A atual condição física ou mental do indivíduo não tem nada a ver com o caráter da pessoa, protegendo o seu inimigo por pena ou por mero perdão você simplesmente estará contribuindo docilmente para a já tão dominante "Lei da Impunidade", onde judeus fracos têm privilégios independentes do seu caráter errante...

    Wereghost

    ResponderExcluir

ATENÇÃO QUANTO AO CRITÉRIO DE PUBLICAÇÃO DAS POSTAGENS:

POSTAGENS FORA DO TEMA DO RESPECTIVO ARTIGO NÃO SÃO PUBLICADAS.

POSTAGENS COM INSULTOS POSSIVELMENTE NÃO SERÃO PUBLICADAS.

Deve-se procurar dar seguimento e aprofundamento ao assunto, portanto, postagens cuja argumentação já foi colocada não serão publicadas.